Publicidade

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Vida de artista!!!

A maioria das pessoas sabe que a vida artística não é esse mar de rosas! Ela pode até ter esses momentos, mas para se chegar a um mar de rosas, muita ralação aconteceu. Taí um bando de artistas que não me deixa mentir.

A batalha é diária. O suor é constante. O sonho não sai da cabeça. E o desejo de vitória é incessante. Até rimou, mas não era minha intenção (rs).

Muita gente pergunta pra mim se meu filho quer ser ator. Eu respondo: se Deus quiser não. Porque sei na pele as dificuldades que enfrentamos. É claro que quando as coisas dão certo é uma alegria, não só para o artista, mas para todas as pessoas que sonharam junto.

E existe uma coisa chamada vocação. Parece que você nasceu para aquilo e não sabe fazer outra coisa senão  aquilo. O que é o meu caso.

Desde a primeira vez que vi um ensaio de uma peça, fiquei fascinado. Lembro como se fosse hoje. Eu devia ter uns 9/10 anos. E até já tinha feito uma participação numa peça da escola, fazendo o Saci Pererê. Mas ver pessoas no ensaio, passando a marca, fazendo a cena, repetindo o texto, me provocou um certo entusiasmo. Acho que meus olhos brilharam tanto como se eu estivesse diante de algo extremamente sagrado.

Essa primeira impressão jamais apaguei da memória. Assim como as primeiras peças que assisti. Lembro de uma que falava sobre preservação ambiental, e em uma das cenas, um garoto caminhava na floresta. Só que o garoto caminhava parado, fazendo uma mímica da caminhada. Era uma coisa simples. Só que para mim, um garoto de 10 anos, era um sonho. Coisa que o teatro proporciona, porque tudo está vivo na sua frente.

Outra coisa que veio a me fascinar tempos depois, foi o cinema. Meus pais fizeram algo que foi muito importante pra mim. Eles pediam para um rapaz que trabalhava na casa dos meus avós - o André - para me levar nos fins de semana ao cinema. Então, eles davam o dinheiro para o transporte e para o cinema. E eu podia curtir vários filmes. Isso quando eu morava em Belém do Pará. Fui muito nos cinemas Olímpia e Palácio, principalmente. E sonhei com os filmes dos Trapalhões. Nunca esqueço dos Saltimbancos Trapalhões. Eu também me sentia um "vagabundo" querendo ser astro de Hollywood. (RISOS)

Na verdade, esse post nem seria para falar sobre isso, sobre minha vida artística, meus primeiros passos na carreira, etc. É claro que o que eu iria escrever tem a ver com isso. Porque, recentemente, ao fim de um dos shows que fiz no Méier (RJ), eu li um e-mail bem carinhoso que alguém mandou pra mim. E essa coisa de alguém ter contato com meu trabalho, via Internet, é muito bom. De vez em quando, recebo algo que me faz acreditar que estou no caminho certo. É como um estímulo para continuar acreditando no sonho.

Fico feliz de receber das pessoas um certo prestígio pelo trabalho que executo. Porque todo mundo chega comigo e pergunta: "Você já pensou em desistir?" E eu digo: "Todo dia eu penso em desistir. Eu acordo e penso em desistir. Mas muitas vezes eu também vejo nascer dentro de mim uma força, nutrida, principalmente, por mensagens positivas de pessoas que também sonham com você e acreditam naquilo que você faz, com o coração". Então, eu volto a acreditar!

Por isso, divido com vocês essa mensagem tão carinhosa, recebida por e-mail:

 "Oi querido Raul, que bom encontrei um meio de acesso a você, admiro muito seu trabalho, faço Libras e acho a pantomima que você desenvolve, espetacular.
Aprendi muito com você nos últimos meses te assistindo e assistindo incessantemente, também quero parabeniza-lo por trazer aos surdos um humor tão saudável, sou ouvinte e costumo dizer que ouvir não é o fator primordial da vida, mas fazer as pessoas sorrirem isso sim é o mais importante, e álém de tudo você se mostrou um grande escritor pelo menos no poema que você postou em seu blog sobre o Rio, gostei de como esboçou a situação dessa cidade recorrendo aos pontos mais almejados dela em que a sociedade se cega em não querer ver a realidade por detrás de tanta beleza, continue com esse trabalho grandioso e quem sabe um dia possamos nos conhecer pessoalmente e trocar experiências, claro que você tem uma "bagagem" muito mais enriquecida do que a minha que está se formando agora, grande abraço Raul e sucesso em sua linda e iluminada jornada, não pare nunca!
 
Cordialmente Priscilla Marfori"

Como diria Renato Russo: "Força sempre!" E complemento com Cazuza: "Quem tem um sonho não dança"



2 comentários:

Priscilla Marfori... disse...

Ual Raul, fico tão feliz de ter te tocado com minhas palavras, mais que merecidas, você é um ser admirável e que tenho orgulho de falar sobre seu trabalho com as pessoas...
Continue sim querido, jamais pare, você brilha demais e nos dias de hoje precisamos de muita luz!
B-Jos. e obrigada por ter postado meu carinho a você!
Feliz 2011...

RAUL FRANCO disse...

Mais uma vez, obrigado! e um super-beijo!